domingo, 26 de janeiro de 2014

Liberdade educa ou a educação liberta?


                                                               
Hoje lembrei de um fato ocorrido a mais ou menos dois anos atrás, e gostaria de compartilhar com vocês. Na época, quando me contaram eu quase não acreditei. Mas o fato é verídico, ocorreu dentro de um grande supemercado e foi mais ou menos assim:

Um senhor de meia idade espera pacientemente na longa fila para o atendimento no caixa. Enquanto aguarda, de repente tem suas canelas atingidas pelo vai e vêm do carrinho de trás. Vira-se, dá uma rápida olhada e volta a observar o caixa. Passado alguns segundos é atingido novamente.

O autor de tal “brincadeira” era um menino, que no máximo deveria ter uns oito anos.Ele certamente entediado com a espera, resolve então usar as canelas do pobre homem como alvo de seu passatempo.

O senhor indignado e coberto de razão, vira-se e educadamente pede que o menino mantenho o carrinho longe de seus pés. Na certeza de que seria prontamente atendido, retoma seu lugar e segue esperando. Só não contava que a mãe do menino, saísse em defesa de seu pimpolho furiosa e gritando: "Meu filho é só uma criança, e eu o crio com liberdade!" 

O senhor surpreendido com a reação da mãe, nada responde, apenas segue esperando.   


Todos já pensavam que a resignação do senhor poria fim ao espetáculo, quando surge um novo personagem. Um jovem que também aguardava na fila, e esperava logo atrás do menino e sua mãe. Visivelmente irritado com a agressão as canelas alheias e indignado com a descabida resposta dada pela senhora, prontamente o jovem abre a caixa de ovos que levava em seu carrinho, retira um, e com toda calma o amassa na vasta cabeleira platinada e escovada.

Enlouquecida e aos berros ela vira-se gritando: " Você está louco?" O rapaz tranquilo e sereno responde: " Não! Mas minha mãe também me educou com liberdade!"

Todos em volta aplaudem enquanto mãe e filho abandonam carrinho, compras e fogem em disparada.  

E uma pergunta seguramente ficou no ar: A liberdade nos dá o direito de cometer tais absurdos? Certamente não. Com certeza essa senhora não foi informada, que para praticar a liberdade é preciso de educação, e muita. Que liberdade é um direito de todos, mas não é absoluta. Que ser verdadeiramente livre é reconhecer que há limites no próprio exercício da liberdade e, nesse caso, exerce-la não implica no direito de fazer e dizer tudo o que lhe vêm à cabeça.  
Para viver a liberdade precisamos nos responsabilizar por ela, ou seja, a liberdade em contrapartida traz a responsabilidade - outra coisa que ela também desconhece, assim como tantos outros valores, certamente. Pobre de seu pimpolho!

Gandhi já dizia: “A mais alta forma de liberdade traz consigo a maior medida de disciplina e humildade”.



                                                                               



                                                                                             

domingo, 19 de janeiro de 2014

A magia do espelho...

                                                             
“Há de chegar a hora em que, com alegria você vai se cumprimentar ao chegar a porta de casa, em seu próprio espelho. E cada um sorrirá diante da acolhida do outro, e dirá: Sente-se aqui. Coma. Você amará de novo o estranho que era em si mesmo. Dê vinho. Dê pão. Devolva seu coração a ele mesmo. Ao estranho que amou você desde que nasceu, e que você ignorou por outro. Tire as cartas de amor da estante, as fotografias, os bilhetes desesperados. Tire sua própria imagem do espelho. Sente-se, celebre sua vida." Derek Walcott – Prêmio Nobel de Literatura 1992

O momento me convida a olhar para mim sem fingir ser outra.
Nesse universo simbólico me deixo levar por reflexões sobre a minha própria condição existencial diante dele, mostrando-me que tudo o que preciso ser ou saber, está aqui. Que o autoconhecimento acontece quando me observo, me percebo. Quando me confronto com minhas crenças mais sólidas e me liberto da ignorância de não querer saber realmente quem sou. Aí retiro minhas máscaras, sento e celebro.

                                       



terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Sentimento viajante...


                                                   

Obviamente não era o mais distante que ele havia estado de casa. Já havia percorrido o mundo e visto o sol dos mais diversos pontos da terra, quando 
incansável buscava pelos prazeres que acreditava estarem escondidos do outro lado do oceano.

                                           
O mundo é por natureza um lugar hostil e implacável. Mas ele transpôs todas as barreiras. Enfrentou todo tipo de adversidade na busca de suas respostas e voou sem destino. Fez do mundo o seu lar. Tornou-se um hábil viajante. Um acumulador de conhecimentos e boas relações porém, não vínculos reais. Nem com nada, nem com ninguém.

E agora está de volta. E nada poderia ser mais desconfortável do que a rotina vazia que experimentava. Um sentimento de não pertencimento e inadequação. A estranheza de não sentir-se mais parte do lugar. A triste sensação de que a maior distância do mundo experimentava ali, em sua casa. 
Havia se tornado m estranho. Um intruso em seu próprio ninho. Um estrangeiro de si.








                                                                               

sábado, 11 de janeiro de 2014

Bem vindo JOA!!!



      Hoje,para preencher ainda mais o meu mundo de alegria e reafirmar minha certeza de que a vida é mesmo perfeita, um anjo nos foi enviado.





      Joa Denny, menino, nascido às 12:30h        

Wilmington, NC, USA 

Meu neto, parte de um plano divino, um presente de Deus.
















                                                                                                             


domingo, 5 de janeiro de 2014

Onde vivem os monstros...

                                                         


Você sabe onde vivem os monstros?  Hoje eu diria que no Maranhão, mais precisamente em São Luis, capital.

Monstros que não se encontram em baixo de nossas camas, como o temido Bicho Papão das histórias infantis.

Não! Esses habitam nossa existência e são de carne e osso. E só, nada mais. 
A prova viva de que há quem não tenha sangue nas veias, mas sim areia, que provêm do imenso deserto que se instalou no lugar onde deveria haver um coração.



** Dedico essa postagem as pequenas Ana Clara, 6 anos, com 98% de seu corpo queimado. E sua irmã Lohana, de apenas 1 ano, com 20% de seu corpo queimado.


    




quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Um caminho para 2014...





Quando não sabemos para onde estamos indo, qualquer estrada serve. Quando não se tem um destino, não se sabe aonde chegar.

Os nossos sonhos e objetivos são os nossos guias, são eles que nos movem e nos dão a direção. Mas sonhos podem ser apenas devaneios sem ação. Por isso acredite na beleza de seus sonhos. Acredite na sua capacidade de realizar e na colaboração da Força Criadora. 
E lembre-se: Não existem limites para nossa capacidade de sonhar e, por conseguinte, realizar.



               
E para que possamos realizá-los, precisamos de persistência, espírito de luta e esperança. E nada será impossível se acreditarmos. Nada será impossível quando o desejo for genuíno e vier de um coração pulsante e compassado com toda a existência.

Portanto, para 2014 trace seu caminho alinhado ao seu coração. E arrisque-se. Dê sentido, vida, cor, forma e odor a todos os seus sonhos.